Startup do INF apresenta a versão piloto do Projeto SOFTWAY4IoT

 
O projeto de P&D financiado pela RNP teve seu piloto apresentado no Workshop de Disseminação e Transferência de Tecnologia.
 
O projeto de P&D financiado pela RNP teve seu piloto apresentado no Workshop de Disseminação e Transferência de Tecnologia.
 
Apresentado no Workshop de Disseminação e Transferência de Tecnologia, realizado nos dias 21 e 22 de março, o projeto SOFTWAY4IoT (SOFTware-defined gateWAY and fog computing for Internet of Things) é uma iniciativa de implementar a “Internet das Coisas” na realidade da UFG.
 
O projeto está sendo desenvolvido pelos desenvolvedores Phelipe Souza, Josenilton San, João Pedro Vieira e Pabllo Felipe, sob a coordenação dos professores Kleber Vieira Cardoso, Antonio Carlos de Oliveira Júnior e Sand Luz Correa, com o patrocínio da Rede Nacional de Pesquisa (RNP).
 
Internet das Coisas (IoT)
 
Internet das coisas (IoT, abreviação da língua inglesa para Internet of Things) é um conceito que indica à inter relação de objetos cotidianos com a Internet. Isso significa que a Internet das coisas nada mais é que uma rede de objetos físicos capaz de coletar e transmitir dados por meio de tecnologias de comunicação sem fio.
 
A proposta do SOFTWAY4IoT
 
O piloto IoT visa a implementação do SOFTWAY4IoT no Campus Samambaia, mais especificamente no Instituto de Informática, na Biblioteca e no Restaurante Universitário (RU). A aplicação desenvolvida e fornecida pela startup MoT pretende proporcionar ao SOFTWAY4IoT a capacidade de gerenciamento inteligente de resíduos sólidos.
 
Aplicação do SOFTWAY4loT
 
Com o intuito de criar uma cultura de reciclagem de resíduos, foi colocado na entrada do Instituto de Informática quatro lixeiras inteligentes, dispostas de acordo com a separação adequada, ou seja, uma lixeira para cada categoria: vidro, papel, metal e plástico. Cada lixeira tem um dispositivo IoT para monitoramento e gestão da coleta seletiva bem como uma câmera IP. No RU, haverá dispositivos IoT com sensores de carga para verificar os resíduos sólidos depositados nos locais de coleta próximo ao restaurante. Na Biblioteca, os dispositivos IoT já estão operando no monitoramento de temperatura, umidade e gás, a fim de colaborar com detecção de incêndio.
 
 
Texto: Gabriel Viana